Na placa oficial de boas-vindas da cidade de Arraial do Cabo, a fama de “Caribe Brasileiro” está estampada. Já deixando os turistas preparados para o inevitável susto ao vislumbrar a primeira praia que fica a beira da estrada. Com águas claras e uma paisagem de encher os olhos, Arraial é um dos melhores destinos do Brasil. Vai ser difícil esquecer um paraíso como esse.

O mar de Arraial é especial por uma razão muito particular. Na região, acontece o fenômeno da ressurgência, que traz para a superfície águas profundas ricas em vida marinha.

Por volta de um milhão de anos atrás, os ventos e as correntes marítimas, começaram a depositar sedimentos entre as ilhas, que hoje são conhecidas como o morro do Mirante, do Forno e Pontal do Atalaia.

Desta forma, foi se formando o atual Arraial do Cabo. Um lugar exuberante, transformado pela força da natureza.

Primeiro surgiram os nômades, um povo sem lugar fixo para habitar. Há cinco mil anos, eles viviam em pequenos grupos no alto dos morros e desciam os mesmos, a procura de alimentos fornecidos pelo mar.

Quando os portugueses aqui chegaram, Arraial do Cabo, era habitada pelos índios Tamoios e uma outra vertente indígena, conhecida com Tupinambás.

Aos poucos, essas tribos foram sendo inseridas, nas lutas recorrentes, entre os europeus e seus inimigos.

O geógrafo e navegador italiano Américo Vespúcio, ao se separar de sua frota, em uma segunda expedição as terras do Brasil, resolveu atracar na atual praia dos Anjos.

Esse lugar fascinava os navegantes devido:

  • as correntes marítimas mais frias;
  • aos ventos de baixa temperatura;
  • as mudanças repentinas do tempo.

Foi a construção de um forte, planejado pelos europeus, que fez surgir pequenos povoados e desta forma foi se originando e configurando-se a geografia dos dias de hoje.

Arraial do Cabo é composto das praias mais exuberantes da região carioca, entre elas encontram-se:

  • As prainhas (Atalaia);
  • Brava;
  • Anjos;
  • Farol;
  • Forno;
  • Grande;
  • Prainha;

Confira o roteiro:

[:]

“Um museu de grandes novidades”. É assim, como nos versos de O Tempo Não Para, de Cazuza, que se abrirão as portas do novo espaço cultural de Vassouras, no Rio de Janeiro. A antiga Casa de Cultura da cidade, recebe, a partir de agora, o nome do cantor, compositor e poeta brasileiro, e passa a sediar o Centro Cultural Cazuza, após o edifício ser totalmente restaurado, em uma parceria entre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Sociedade Viva Cazuza e a Prefeitura Municipal de Vassouras.

Toda a obra durou menos de um ano, envolvendo a restauração da casa principal, a construção de um anexo com elevador, instalação de novos banheiros e paisagismo da área externa. As ações executadas garantiram a acessibilidade do edifício e ainda a implantação de novos usos para os ambientes internos, que agora terão espaço de exposição, salas multimídia, biblioteca e uma ala permanente em homenagem a Cazuza, onde o público poderá conhecer objetos, indumentária, documentos e prêmios do artista. O Iphan foi responsável por custear o projeto para o restauro arquitetônico, contratado pela Prefeitura Municipal e executado com investimentos da Sociedade Viva Cazuza.

A celebração da inauguração do espaço acontece nos dias 11 e 12 de maio, marcando o ano em que Cazuza faria 60 anos e também os 60 anos do tombamento do Conjunto Paisagístico e Urbanístico de Vassouras. Para a solenidade de entrega, estarão presentes a presidente do Iphan, Kátia Bogéa; o diretor do Departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida; a superintendente do Iphan no Rio de Janeiro, Mônica da Costa; a presidente da Sociedade Viva Cazuza, Lucinha Araújo; o prefeito Severino Dias, e outras autoridades locais. O primeiro dia contará com apresentação de Sandra de Sá e, no segundo dia, do Bloco Exagerado e Gilberto Gil.

Uma casa cheia de histórias
O edifício que agora abriga o Centro Cultural Cazuza é um antigo casarão de 1845, em estilo neoclássico. Localizada ao redor da Praça Barão de Campo Belo, a principal da cidade, a casa tem grande valor simbólico e integra o conjunto protegido pelo Iphan desde 1958. Já há vários anos funcionava como sede da Secretária de Cultura e Turismo de Vassouras, tendo sido interditada em 2013, por questões estruturais.

A casa foi residência de importantes nomes da história de Vassouras, a cidade dos Barões de Café, tal qual o genro do Barão de Itambé, Francisco José Teixeira de Souza. Após seu falecimento, em 1871, o prédio foi transformado em sede de diversos clubes e colégios, até ser adquirido pela Prefeitura Municipal, que criou ali uma casa de cultura, até então denominada Centro Cultural Presidente Tancredo Neves, a fim de abrigar manifestações dos diversos segmentos culturais, como a Biblioteca Maurício de Lacerda e o Arquivo Público Municipal.

A família de Cazuza possui uma forte relação com o edifício, pois foi onde Lucinha Araújo, mãe do artista, nasceu. Foi também ali em frente, anos mais tarde, que ela conheceu seu marido, o empresário João Araújo. Para marcar esse vínculo familiar, foi instalado no novo centro cultural o busto de Maria Rangel de Araújo, educadora e fundadora do Colégio de Vassouras e avó de Cazuza.

Investimentos
Vassouras vem recebendo uma série de investimentos do Iphan nos últimos anos. Está em andamento a restauração da Sede da Associação de Paroquianos de Vassouras (Asepava), que recebe investimentos de cerca de R$740 mil. Além disso, outros R$2,8 milhões já foram destinados à elaboração de projetos, sendo que alguns deles serão, como foi o caso do Centro Cultural Cazuza, executados com recursos da iniciativa privada.

FONTE:

http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/4635/centro-cultural-cazuza-e-inaugurado-em-vassouras-rj[:]

Brasília, Paraty e João Pessoa recebem títulos da Unesco

SÃO PAULO E MILÃO, 31 OUT (ANSA) – A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) incluiu três cidades brasileiras entre as mais criativas nesta terça-feira (31).

A capital federal, Brasília, foi escolhida como a “cidade criativa para o Design”. Já João Pessoa, na Paraíba, foi eleita “cidade criativa para as Artes e Cultura Popular”, e Paraty, no Rio de Janeiro, foi escolhida como “cidade criativa para a Gastronomia”.

O anúncio desta terça incluiu 64 municípios de 44 países na lista dos mais criativos, sendo que 19 nações conquistaram a honraria pela primeira vez.

Criada em 2004, a lista conta com 180 cidades em 72 países diferentes homenageadas pelas habilidades de criação de seus povos.

Todas elas recebem o título com base “em práticas inovadoras para promover uma indústria criativa, reforçar a participação na vida cultural e integrar a cultura na sustentabilidade urbana de políticas de desenvolvimento”. (ANSA)

Fonte: Terra e Isto É

[:pb]Um dos mais importantes vestígios do surgimento da cidade do Rio de Janeiro, a Ladeira da Misericórdia, localizada na região central do rio, é agora Patrimônio Cultural Brasileiro. O trecho de 40 metros remanescente da ladeira original resistiu ao tempo e às mudanças ocorridas ao seu redor e foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico e Nacional (Iphan).

A proposta tramitava no instituto desde 1955 e foi aprovada ontem (27), por unanimidade, pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Iphan. Datada do século 16 e já tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), a área compunha o Largo da Misericórdia, ao lado da Igreja de Nossa Senhora do Bonsucesso, a mais antiga do Rio, e da Santa Casa de Misericórdia, ambos tombados anteriormente pelo instituto nacional.

A ladeira é um dos marcos da fundação da cidade e considerada uma das primeiras ruas do Rio, além do primeiro acesso ao Morro do Castelo, movimentado núcleo urbano da época. Conforme explica o professor de

Rio de Janeiro – Ladeira da Misericórdia, no centro da capital fluminense, é tombada pelo Iphan e vira Patrimônio Cultural Brasileiro (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Geografia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro João Baptista Ferreira de Mello, a estrutura foi construída com técnica chamada pé-de-moleque: “Eram dois ou três escravos e uma mula que fincavam no chão pedras de tamanhos irregulares, como a gente pode ver, pequenas, médias, grandes e enormes que formavam o calçamento”.

A edificação também tem valor histórico por remontar dois importantes marcos da cidade, afirma o diretor de Patrimônio Material do Iphan, Andrey Schlee. “Primeiro, a própria memória histórica da construção da capital, momento em que a vila do Rio de Janeiro começa a ser construída no Morro do Castelo; e o segundo, da própria destruição do mesmo morro”. Ele lembra que no início do século 20, o morro foi destruído para obras de modernização do centro.

Preservação

O tombamento consolida a importância da ladeira que necessita, agora, de ações de conservação e de visibilidade, cobram moradores e especialistas. Eles criticam o abandono do bem, escondido por veículos que usam o local como estacionamento. “É uma coisa de muita importância tomada por esses carros na frente. Quem chega não entende por que um marco histórico está desprotegido e não consegue passar”, reclamou a servidora pública Joanira de Carvalho.

“Independente do tombamento, algo extremamente positivo, seria melhor fazer um plano de recuperação”, defendeu o historiador Milton Teixeira. “A ladeira hoje, como está, só acaba servindo de abrigo à população de rua. As autoridades têm obrigação de preservá-la”, frisou.

A partir de agora, o Iphan informou que trabalhará com a prefeitura para garantir a conservação e fiscalização do bem, além de colocar placas de identificação atualizadas no local.

Fonte: Agenciabrasil.ebc

A cidade de Petrópolis fica localizada no alto da Serra da Estrela do estado do Rio de Janeiro, a 845 metros de altitude, faz mistura e combinação do passado e presente com charme das construções do período imperial com o friozinho da serra e a infraestrutura de qualidade, com bons meios de hospedagem, bons restaurantes, comércio variado e a natureza exuberante da Serra dos Órgãos.

Com seu passado histórico bem preservado e uma infra-estrutura turística das mais modernas, a cidade recebe hoje visitantes de todos os tipos, desde a elite da sociedade fluminense, a casais apaixonados e grupos escolares.

A história da Petrópolis tem início em uma das viagens feitas por Dom Pedro I. No ano de 1822, durante uma travessia pelo tortuoso Caminho do Ouro, que ligava o Rio de Janeiro a Minas Gerais, o imperador se hospedou em uma fazenda da região serrana. Ficou encantado com o lugar e comprou a fazenda do Córrego Seco, além de outras propriedades do entorno.

Com a abdicação de Dom Pedro I, seu filho Dom Pedro II herdou as terras. Ele ordenou o assentamento de uma povoação naquele trecho de serra e a construção do seu palácio de veraneio, pronto em 1847. Desde então, durante quase todos os verões em que governou o Brasil, o imperador mudava-se com a sua corte para Petropólis.

Que tal passar um dia na cidade imperial? Venha com a rio lazer e viagens e conheça um pouco da cidade que encantou Dom Pedro II.

Link: https://www.facebook.com/events/342200272895559

[:pb]

O Circuito da Laranja é um planejamento turístico, criado em 2010, que, entre os meses de maio e novembro, leva turistas para um passeio pela área rural da cidade e seus atrativos. Isso mesmo morador tanguaense: Tanguá possui atrativos turísticos. Você pode não os ter visto ainda, mas eles existem de fato, e já tem gente de fora desfrutando disso. O Grupo Expedição Cultura (que realiza diversos
trabalhos relacionados a Arte, Turismo,…) está organizando um evento de passeio pela cidade de Tanguá. Esse passeio seguirá roteiro do Circuito da Laranja.

Essa atitude nos leva a pensar em algumas coisas que já foram citadas por alto neste blog. Tanguá possui um grande potencial turístico que pode e deve ser explorado, com destaque para o ecoturismo e esportes ecológicos. Com a aplicação do projeto adequado, Tanguá cresceria exponencialmente no ramo. Mas isso exige um bom planejamento (nada difícil de fazer, por sinal). Se cursos de turismos forem administrados e as secretarias trabalharem em prol de valorizar o turismo na cidade, Tanguá poderia responder de forma muito natural e proveitosa.
Existe hoje, uma carência de iniciativas que valorizem a nossa gente, nossa terra, nosso trabalho, nossos frutos,… enfim, nós. O povo tanguaense aprendeu a procurar de tudo nas cidades vizinhas, mas muitos não sabem o que há de bom na própria cidade. Claro que é importante essa abertura para outros grupos empresariais, até para adquirir novas experiências e para mostrar o quanto devemos valorizar nossa cidade, mas é ainda mais importante a participação do povo daqui.
Tanguá é linda e pode ser mostrada dessa forma pras pessoas que vem de fora. Não se pode aceitar conformadamente, que Tanguá vá ser uma eterna cidade dormitório, quando tem tanta coisa interessante pra ser aproveitada. Cada projeto voltado para o turismo em Tanguá, pode ser um facilitador para o crescimento de outras áreas como cultura, esporte, promoção e inclusão social, saúde,… enfim.

Um dia dedicado ao principal produto de Tanguá, a laranja, num passeio que conta também um pouco da história da cidade e do modo de viver dos moradores. O circuito começa às 8h, no portal da cidade, e termina às 17h, depois de percorrer caminhos da mata, engenhos, fazendas e plantações, além da Cachoeira do Tomascar. Uma das atrações é o Engenho de Farinha, construído na época da escravidão e o único movido a água ainda em funcionamento na região.

Tour cultural de experiência pelo Circuito da Laranja, projeto turístico da cidade de Tanguá onde é possível sentir a natureza, curtir a vida no campo e conhecer a história do Recôncavo Fluminense, através de seus engenhos coloniais e propriedades rurais.

Esta atividade cultural será realizada com acompanhamento de guias de turismo especializados (historiadores) e credenciados pelo Ministério do Turismo/Embratur.
É recomendado aos participantes o uso de roupas leves, calçados confortáveis, garrafa de água mineral e máquina fotográfica

PACOTE
PAGAMENTO: (Valor por pessoa)
Depósito ou Transferência – R$ 150,00 (ITAÚ OU BRADESCO)
Cartão de Crédito – parcelado online em até 3x de 55,00 R$PONTOS DE EMBARQUE:
→ 06:30 – Norte Shopping
→ 06:45 – Nova América
*Embarque em Niteroí e São Gonnçalo Shopping

RETORNO
→ 17:00

INCLUI NO PACOTE:
✔Transporte Rio x Tanguá x Rio;
✔Café da Manhã (café rural)
✔Almoço (fogo de lenha)
✔Serviço de bordo;
✔Acompanhamento de Guia de Turismo;
✔Colha e Chupe (Faca e Bolsa para colher a laranja)
✔Visita a engenho e cachoeira
✔Feira de Artesanato

Evento: https://www.facebook.com/events/1353728934665027

Festival de Parintins 2017. Imagem: Divulgação/Facebook Festival de Parintins.

O Festival de Parintins 2017 está confirmado e sera realizado no mês de junho e julho.

O evento, tradicional na região, costuma acontecer anualmente e reúne um grande público todos os dias. Para este ano, as datas escolhidas são 30 de junho, 01 e 02 de julho. A realização será no Centro Cultural e Esportivo Amazonino Mendes, localizado na Av. Nações Unidas, s/n em Parintins-Amazonas. 

A festa folclórica dos bois-bumbás, além de ser uma das comemorações mais aguardadas da região, é considerada uma das dez mais populares do Brasil. A cada ano, cerca de 100 mil pessoas se deslocam até a ilha para ver o espetáculo.

E não apenas o Bumbódromo se veste nas cores dos bois Garantido e Caprichoso. Ruas, bairros e prédios adotam pinturas e decoração com as cores vermelha para o boi Garantido e azul para o boi Caprichoso.

A primeira edição do Festival Folclórico de Parintins aconteceu em 1965, com a apresentação dos dois bois e 22 quadrilhas. Alguns anos depois, o evento cresceu, ganhou fama, foi transmitido nacionalmente e passou a ser considerado como atração turística.

A brincadeira tem como origem o conhecido Auto do Boi, onde um peão mata um boi querido por um rico fazendeiro para que sua esposa, gravida, possa comer a língua, já que está com desejo. Como o fazendeiro e sua filha, que tinha o boi como favorito ficam brabos, o peão pede ajuda de um pajé da tribo a fim de ressuscitar o animal.

No ano passado, a realização foi, como sempre, um sucesso e aconteceu nos dias 24, 25 e 26 de junho de 2016.

Confira o mapa de setores do Festival de Parintins 2017:

Mapa Festival Folclórico de Parintins 2017. Imagem Divulgação/Site Ingresso Rápido.

 

 

Bauernfest, a Festa do Colono Alemão, ocorre em Petrópolis de 23 de junho a 2 de julho

Petrópolis, a Cidade Imperial, se transforma durante 10 dias em um burgo alemão com a Bauernfest. A 28ª edição da Festa do Colono Alemão se realiza entre 23 de junho e 2 de julho no Palácio de Cristal, com muitas novidades nesta edição. A influência germânica inspira uma programação repleta de atividades culturais e dança folclórica que resgatam as tradições dos colonizadores, além da culinária típica

Principal evento do calendário do município, a Festa do Colono Alemão é a segunda maior do gênero em todo o país.

Como sempre acontece, o Palácio de Cristal, palco principal do evento, será tomada pela influência germânica com culinária típica, atividades culturais e dança folclórica na Festa do Colono Alemão. Na edição de 2016, o público estimado foi de 320 mil pessoas.

“É o período em que celebramos essa tradição com muita festa, oferecendo uma programação bem bacana com muita atração cultural, o burgo com comidas típicas, o tradicional chope a metro, enfim, é o momento em que resgatamos essa cultura germânica aqui na Cidade Imperial”, destacou Leonardo Randolfo, presidente da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis, organizadora do evento.

O evento é responsável por aumentar consideravelmente a ocupação hoteleira e garantir sua lotação nos fins de semana da festa. No ano passado, o primeiro fim de semana da festa registrou taxa média de 96,23% de ocupação, sendo 98,05% no Centro e arredores. O segundo fim de semana apresentou aumento na ocupação do primeiro distrito, com 98,36% e taxa média de 93,21%.

NOSSO EVENTO:

https://www.facebook.com/events/1331801280246434/?acontext=%7B%22action_history%22%3A%22[%7B%5C%22surface%5C%22%3A%5C%22page%5C%22%2C%5C%22mechanism%5C%22%3A%5C%22page_upcoming_events_card%5C%22%2C%5C%22extra_data%5C%22%3A[]%7D]%22%2C%22has_source%22%3Atrue%7D

02 DE JULHO – BAUERNFEST (PETRÓPOLIS) – DOMINGO

[ RESERVAS ] ☎
021 3598 5752
021 96816-6075 (WhatsApp)
contato@riolazereviagens.com.br
riolazereviagens@gmail.com
www.riolazereviagens.com.br

PAGAMENTO: (Valor por pessoa)
Depósito ou Transferência – R$ 85,00 (ITAÚ OU BRADESCO)
Cartão de Crédito – parcelado em até 3x de 35,00 R$

Criança de 06 a 09 anos: R$ 65,00
Gratuidade* para criança menor que 5 anos viajando no colo.

PONTOS DE EMBARQUE:

→ 14:00 – Centro – Hotel Windsor Guanabara
→ 14:20 – Tijuca
→ 14:30 – Meier
→ 14:45 – Norte Shopping
→ 14:50 – Nova América
*O GLOBO da Washigton Luís (Caxias)

RETORNO
→ 22:00

INCLUI NO PACOTE:
✔Transporte Rio x Petrópolis x Rio;
✔Serviço de bordo;
✔Acompanhamento de Guia de Turismo;

NÃO INCLUI:

✔Despesas extras de caráter pessoal e qualquer item não mencionado como incluso.

ROTEIRO
14:00 – Inicio dos embarques
16:00 – Chegada prevista em Petrópolis
Passeio livre para visitação a Casa Santos Dumont, Museu Imperial, Catedral São Pedro de Alcântara, Cervejaria Bohemia e o Palácio de Cristal onde está localizado a Bauernfest.
21:00- Retorno para o Rio
22:00 – Previsão de Chegada no Rio

A Bauernfest- Festa do Colono Alemão, acontece desde 1990, na cidade de Petrópolis, sendo o segundo maior evento de sua categoria no Brasil.
A Bauernfest é um evento diretamente ligado à presença germânica no Brasil, com raíz nacional e identidade própria, valorizando a imagem positiva do Brasil e de sua cultura inclusiva.
Aos domingos é ralizado um grande desfile comemorativo pelas ruas da cidade, com flores, música, dança e alegria. Tem a duração média de dez dias e programação para todos os dias do evento. Os descendentes dos colonos convidam à todos para vir a festa e comemorar com eles, a feliz decisão de seus antepassados de permanecer em país.

O Brasil tem mais de 6.500 cavernas conhecidas e catalogadas, o que significa que estes espaços podem ser explorados turística e culturalmente. São considerados carverna, gruta ou furna todas as cavidades rochosas com dimensões que permitam acesso a seres humanos.

As cavernas abrigam diferentes tipos de vida, além de nascentes de rios, cachoeiras e áreas para práticas de esportes como o rapel. Com ajuda de guias é possível visitar diferentes cavernas no Brasil como a Gruta do Lago Azul. em Bonito (MS). O lago dentro do local tem um tom de azul impressionante, resultado da incidência do sol no local.

Em Lençóis, na Bahia, a Gruta da Pratinha serve como porta de entrada da região da Chapada Diamantina e pode ser explorada em trilhas ou uma tirolesa. No Piauí, o Baixão da Pedra Furada é tombado pelo Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. Paredões de arenito formam o interior da caverna e são cobertos por pinturas rupestres.

As cavernas são de extrema importância para a ciência porque guardam uma grande variedade de evidências arqueológicas, já que serviram de moradia e refugio para o homem primitivo. A Sociedade Brasileira de Espeleologia criou o Cadastro Nacional de Cavernas com o objetivo de reunir as informações disponíveis sobre as cavernas no Brasil. Atualmente, o Brasil tem 6501 cavernas cadastradas, mas estima-se que existam cerca de 80 mil no país.

Praia do Forte, Imbassaí e Trancoso são as regiões mais indicadas para os viajantes que querem viver uma excelente experiência turística na Bahia

A Bahia é uma referência nacional quando se pensa em agito, Carnaval e belas praias, mas o destino também é ideal para quem busca o tal turismo de luxo . Isso porque esse estado brasileiro conta com uma boa infraestrutura e tem opções de hotéis luxuosos, fatores determinantes para quem busca esse tipo de viagem.

Praia do Forte está entre as regiões indicadas para quem busca o turismo de luxo na Bahia
Divulgação/Ibero
Praia do Forte está entre as regiões indicadas para quem busca o turismo de luxo na Bahia

“Além de ser estruturada para receber turistas e ter variedades de hospedagens, aos olhos de viajantes exigentes e sofisticados, a Bahia é bastante atraente por contar com famosos pontos turísticos. A soma de todos esses fatores é determinante para o viajante fechar um pacote”, explica Alexis Manach, cofundador e co-CEO do Zarpo.

Para o especialista, a Praia do Forte, Imbassaí e Trancoso são as regiões do Estado mais indicadas para quem busca uma experiência envolvendo o turismo de luxo.

Praia do Forte

É uma praia na qual a natureza é a grande protagonista do passeio. “O principal atrativo da região é o ecoturismo , logo, para quem ama o contato com a natureza e com os animais, acaba sendo a escolha perfeita”, explica Alexis.

O local também conta com outras atrações turísticas, como mergulhar nas piscinas naturais na praia do Paga Gente  quando a maré está com nível baixo, visitar o Castelo de Garcia d’Ávila , uma das construções mais antigas das Américas, e conhecer o Projeto Tamar para ver de perto todos os cuidados que eles possuem com a preservação dos animais.

As praias e outras belezas naturais são os grandes atrativos dessas regiões baianas
Divulgação/Grand Palladium
As praias e outras belezas naturais são os grandes atrativos dessas regiões baianas

Imbassaí

Nessa região, a principal atração turística é o encontro do Rio Imbassaí com o mar. “Além do belo visual, a água fica morninha para o banho dos turistas. Há também a transparente Lagoa Jauara , que fica logo após uma trilha ecológica com vista para o mar. Gastronomia e compras também podem ser desfrutadas entre a Vila Imbassaí e a Vila Diogo”, diz Alexis.

Trancoso

Esse é um destino popular por contar com belas praias. “O centro de Trancoso chama-se Quadrado e é um dos principais pontos de visitação. Outras indicação são a Praia do Rio da Barra, Praia dos Coqueiros e Praia do Espelho, consideradas as mais famosas da região”, comenta o especialista.

Melhor época

Se você ficou animado para conhecer o destino, saiba que julho é a época mais indicada. Isso porque no Nordeste brasileiro faz calor o ano todo, mas, de acordo com Alexis, nesse mês a temperatura fica mais agradável. Além disso, para quem viaja com a família, é possível aproveitar as programações especiais que os hotéis organizam nas férias.

Vai para Bahia? Conheças as praias e as paisagens de Trancoso
Flickr/Michell Zappa
Vai para Bahia? Conheças as praias e as paisagens de Trancoso

“Em especial, no caso de Trancoso , o final de ano é bastante animado. A programação de Réveillon, por exemplo, conta com diversas opções de festas exclusivas”, ressalta o especialista.

Fonte: Turismo – iG @ 

Por iG Turismo , por William Amorim |